Templates da Lua

Créditos

Templates da Lua - templates para blogs
Essa página é hospedada no Blogger. A sua não é?

28 de dez de 2008

Casa Vazia, Lasanha e Dvd: nada melhor para um Natal solitário...

Eu já tinha idéia para escrever aqui neste blog há tempos (na verdade, desde o dia 24, a véspera de Natal). Porém, se eu já o tivesse feito, teria perdido detalhes importantes e coisas que não recheariam bem esta postagem. Esse post vai ser o único que eu não colocarei fotos minhas, pois esses ultimos dias eu não andei tirando muitas. Mas, começando de onde veio a inspiração para escrever dessa vez: o meu natal solitário no bairro do Alecrim, que começo a minha escrita. 

O som do microondas marcava que a minha comida do Natal já estava pronta enquanto observara os carros passando em alta velocidade perto da porta da minha casa. Esse clima de Natal solitário me veio a calhar para uma pessoa que começou neste ano a sua "emancipação cultural e financeira" (ou seja, me formando e saindo da casa dos meus pais). Morando apenas eu e o meu novo cãozinho, o Sloopy. Nunca pensei que organizar minhas coisas e ver tudo jogado pela casa até que fosse ser uma cena tão terrivel e, ao mesmo tempo, tão agradável. Os tempos mudam, a começar até mesmo por mim. E nisso a assistir o filme "contato" que peguei com o meu amigo Ricardo sendo o som do filme cortado pelo ronco do motor de algum veículos cada 15 minutos.

Depois soube por amigos como eles tinham organizado algo perto de casa: Jantar e Churrasquinho, banhado a coca cola e vinho. Até me ligaram perguntando como se fazia "pau nas coxas".  Quando eu falei que era só colocar leite-moça, até deu pra escutar um "Puta que Pariu!!!!" no celular. Só colocar um ingrediente a uma bebida para mudar todo o nome... coisa engraçada para eles e normal para mim.

Esses 4 dias ( do dia 24 ao 28) até que me foram tranquilos, aprendendo a organizar meu novo esconderijo (ou apezinho mesmo XD), jogar as roupas de um lado e pensar se vou ficar com aquele lugar mesmo ou se vai ser temporário. Ver o meu poodle correndo pela casa e conheçendo cada pedaço dali, da sua nova casinha e bagunçando minha mala com minhas roupas. tudo num clima normal até e ver um amigo meu me visitar. Na verdade, um vizinho querendo saber quem era o novo morador do lugar e que conversamos muito por lá. O cara se chamava Adeilson e até conversamos muito sobre viagens, filmes, desenhos, carros, birita até chegar no assunto polêmico e que sempre rende pauta: mulher. 

O assunto rendeu por um tempo, e via nesse cara o típico comportamento de um homem desse tempo: baladeiro, que sai pra pegar muitas e beijar quantas aparecer na frente. Isso me fez lembrar o meu trabalho nessa semana passada como Dj e na segurança de um evento, o Techno-Live RN. E vi que ambos os sexos faziam a mesma coisa... como estava lá pelo som e pela minha arte, não quis me importar com o que via. Até porque, cada um faz da vida aquilo que quer. Desde que se responsabilize pelo que vai pagar depois.

O engraçado foi até o cara comentar comigo e dizer que homem devia ser tudo assim mesmo como ele, pois as meninas e mulheres de hoje estão tão sacanas e safadas como os homens. Por um momento eu até lhe dei a razão, pois a frase "enquanto não encontro as certas, me divirto com as erradas" nunca esteve tão em alta (e seria um hipócrita dizer que não vi ou vivenciei um pouco disso... e sai com algumas erradas). Mas eu ainda acredito que, como disse uma vez o Bob Marley - "A maior covardia de um homem é despertar o amor de uma mulher sem ter a intenção de amá-la". Eu e meu novo vizinho acabamos de nos tornar amigos, mas cada um na sua, ou como deveria ser toda boa amizade.

Meus amigos (tanto te trabalho como das rocas) até me convidaram para sair esse fim de semana (pois estaria tendo um show no dosol rock bar, no largo da rua chile), mas dessa vez não quis ir. Antes eu até ia, mas quando não me sinto bem em um lugar eu não consigo esconder isso. Isso era uma coisa que estava lendo sobre o meu signo de escorpião em umas antigas anotações minhas: "não sou o tipo de cara que gosto de manter aparências. Se eu gosto de uma coisa, a defenderei... Se eu o odeio, não fingirei que gosto pois prefiro a antipatia à falsidade " (fonte: Revista Andros). Não iria querer preocupa-los, e preferi a minha vida caseira por enquanto.

No dia 31,,, ou no dia 1... espero estar conseguindo postar uma retrospectiva de tudo o que eu li e descobri sobre mim mesmo. Além de sair para a praia de ponta negra para biritar com alguns amigos do otaku anime. Por fim, deveria só comentar os meus Status de vida ->  Nos amigos, voltei a reencontrar o meu "segundo irmão", o Fábio Malaquias. Rever o meu companheiro de batalhas e histórias até fora algo que me surpreendera. Ver como ele estava bem e até mesmo como nos encontramos (ambos de calça preta e uma camisa do game Devil May Cry) dando aquele abraço caloroso,  é bom saber que um dos meus melhores amigos está bem;  No visual, abandonei as minhas madeixas (como dizem os natalenses aqui para os longos cabelos) por cumprir com a minha promessa de faculdade - conceito A na minha nota renderia um corte de cabelo. Optar por um corte mais curto, porém ainda de cabelo cheio. O problema é só mesmo acostumar com esse cabelo assim pois gostava dele grande. Agora é esperar crescer e ver como vai ficar.

Espero que o ano novo venha a ser melhor,  como o Natal já fora importante para a minha pessoa mas que passei ele só. Mas é um preço que paguei: minha emancipação a custa de meus familiares. E se a vida me der a chance, ir ao Rio de Janeiro prestar o meu curso de animador...

Que venha a vida, e que eu quero ver cada pedaço dela neste mundo...

16 de dez de 2008

"Da boa ação a ação Boa ": Uma visita ao bairro Alecrim

Pode até parecer engraçado, mas em apenas um único dia eu pude ir de uma cena tanto linda como uma cena que considero deprimente. Acho que pela minha experiência como jornalista até me permitira já estar acostumado com isso (pois lido com vários assuntos ao mesmo tempo, de reencontro de irmãs que não se vêem há quase 30 anos até a "serial killers" que mata homossexuais com um tiro no... é, lá naquele lugar mesmo). Eu deveria estar acostumado com isso, só que algumas coisas ainda me chocam, mesmo eu sendo estranho demais para este mundo.

Esse talvez seja um dos poucos posts que só terá uma foto, pois as fotos que fiz do outro lugar se publicasse aqui neste blog poderia ser censurado ou mesmo ter esse espaço fechado por cenas impróprias para menores de 18 anos. Mas, o que eu realmente queria dizer era que esse fim de semana (sábado e domingo - 13 e 14) eu vi cenas de vários tipos. Da humildade até ao desejo estranho do homem.

No último sábado, as 13 horas, eu mais um grupo de 10 pessoas se reunia na praça do Relógio, no Alecrim, para fazermos uma doação para uma creche do Lar Menino Jesus, situado no mesmo bairro. A creche, que mais lembrava um condomínio, chegou a ficar cheio de tantas crianças quando chegamos com os caixotes. Imaginem uma sala de 150 m² sem ninguém virar um pequeno formigueiro de crianças em menos de 10 minutos? Foi o que vimos quando a Assistente Social chamou as crianças para receber a nossa doação. Doações e doações feitas por mim e pelo grupo que estava participando.

O curioso fora até ver uma criança voltando pra me abraçar forte (mesmo para o tamanho do garotinho) e falando "obrigado pelo presente tio!!!". Na hora, foi até uma cena forte para mim... que até mesmo eu sentia aquele corpo pequeno me apertando com vontade como quem não quisesse largar mais a mim. Sei lá, mas pela primeira vez senti meus olhos encherem d'água. Era a minha boa ação do ano sendo feita? Seria o início de um trabalho voluntário? Não não, acho que a minha vontade mesmo de ser pai e ter um filho (ou seja, esqueçe...)

"obrigado tio!!" (o garoto com a bola na mão, autor da frase)

Depois, algo em torno das 18 horas, saímos do lugar e o grupo começara a se dispersar pelo Bairro. Alguns moravam na Zona Norte, outros na Zona Sul, e eu e mais 4 amigos que iamos para voltar para as Rocas. Um deles até propôs, porque não vamos no Bar Tal? Até perguntei "porque não?" para mim mesmo aquele e foi aquele grupo de 5 pessoas (comigo incluso) para um barzinho perto do cemitério do Alecrim.

De fora, aquele barzinho até lembrava os botecos de cidade pequena, mas de boteco não tinha nada. Ao chegarmos no lugar, o grupo de 5 rapazes fora abordado por lindas garotas. A principio até pensava ser conhecidas dos meninos, mas depois vi do que se tratara: Luz Vermelha no fim do bar, som pra lá de cafona e forró de teclado ao fundo, bebidas baratas e uma mulher coordenando meninas mais novas e distribuindo calcinhas e lingeries. Aquilo não era um bar... era um bordel (ou... para os mais vulgares, um puteiro). "E aí cabeludinho lindo? O que vc tem dentro da calça é tão longo quanto o seu cabelo?", pela primeira vez eu preferi não ter o cabelo grande para ouvir uma cantada dessa.

Depois de um tempo lá, até vi uma mulher mais velha, algo em torno dos seus 40 ou 50 anos. Passara a me olhar e veio até mim (detalhe: eu era o único na porta do bar, pois não concordava em ficar naquele ambiente) e conversara comigo. Depois de 10 minutos de conversa soube quem era a pessoa. Seu nome...ela gostava de ser chamada de "Rose", a cafetina do Bar. Eu acho esse nome familiar... Rose... mas preferi continuar conversar com ela. Aquela conversa de quase 30 minutos me revelara muita coisa sobre ela e aquelas meninas: Garotas (e garotos, que ela me falou que também tinha alguns naquele lugar) que eram pagos para fazer companhia e atenção (e não somente o sexo, como eu apenas imaginara); que algumas meninas dalí não eram apenas pessoas necessitadas, mas sim pessoas endividadas, mulheres-de-malandro e mulheres-de-bandido que também coordenara o lugar; alunas de escolas e faculdades particulares que faziam program para pagar seus cursos; artigos a venda provenientes de furtos a lojas de sex-shop; venda de pessoas do tipo "quem dá mais pra ter uma noite comigo?" (ela mesmo até mesmo leiloara algumas garotas e garotos), e muitas outras revelações que prefiro não comentar.

Prometi a ela que não falaria do lugar, mas depois daquela conversa falei para ela avisar a meus amigos que eu estava indo embora por não gostar desse tipo de coisa. Olhando a cena, até me fez pensar "A quem ponto chegou a humanidade: Ter que pagar para poder ter um momento de desejo com um semelhante". Parece que o efeito do mundo globalizado onde tudo é negócio está até afetando os nossos desejos. E até o engraçado é que isso está se tornando tão comum que perde o seu impacto e, com isso, adeptos dessa prática (e nisso incluo homens e mulheres) que cobram para dar a seu semelhante carinho, amor e sexo.


Como o mundo dá voltas, começar em um lugar que pode ter desgraça mas que vi a beleza. E um lugar onde as coisas belas andam soltinhas e atiradas mas que vi o repugnante nojo e efeito do capitalismo. Quando mais tempo passa.... mais eu vejo que talvez eu não tenha nascido para este mundo, ou que simplesmente posso me assustar cada vez mais.

Bem... o falecido tim maia já falou uma vez:
"O Brasil é o único pais onde:
Prostituta goza...
Cafetão sente ciúme...
Traficante é viciado...
e Pobre é de 'Direita'..."

E depois da charge que eu vi já tem tempo (no link que pode ser visto aqui). Acho que poderia acrescentar mais um trocadilho para a fala acima..." e virgem faz filme pornô".

Acho que era só isso que tinha a dizer neste post de hoje, vejo como mais o tempo passa.... mais eu sinto que as "trilhas urbanas" podem ser bastante produtiva (e que uma cidade como Natal não é tão sem opção e histórias como alguns dizem).

ps: e pra quem tiver preguiça de abrir o link que coloquei acima, pode ver na charge abaixo (Fonte: Charges.com.br)


Serviço:
Creche Lar Menino Jesus (aberta ao público das 14 as 17 horas)
Rua Jaguarari, 1469 - Alecrim
Próximo a Faculdade Câmara Cascudo

10 de dez de 2008

"Veias filosóficas: as minhas estão despertando..."

Sentindo a minha veia literária passando meio dormente esses ultimos dias. E a busca de inspiração para escrever acabou vindo até de um grupo estranho que estou começando a escutar. O nome do grupo: Van Canto. E ouvindo até umas de suas músicas... deu para rascunhar um texto que está escrito no fim desta postage. O curioso desses caras é que eles fazem o som dos instrumentos (guitarra e baixo) com o vocal. Ou seja, o som desses instrumentos é feito com a voz e são bem feitos. Essa banda tem acho que uns 3 anos juntos e já lançaram 2 Cds. Confiram abaixo nesse vídeo do youtube.



4 dias... 4 eventos... e eu andando um pouco de cada um deles. Ou melhor: apenas me aprofundando em 1... indo aos outros só de relance... Todos nós temos que escolher os locais para ir, ver... vivenciar... aprender.... tudo o que nos aparece deve ser útil e inútil. Percebi até mesmo nossas futilidades são marcas do caráter, mostrando o quão culto ou quão podre as pessoas podem ser. Esse fim de semana em Natal teve 4 eventos longos: Caosnatal (evento de Rock no largo da Rua chile), o Carnatronic (evento de música eletrônica que aconteceu no cartodromo próximo ao machadão), o Carnatal (um "carnaval fora de época, que acontece todo ano aqui nessa cidade) e o Anime Sun (um evento de jogos eletrônicos e cultura japonesa). E nesses meus 4 últimos dias andei um pouco em cada um deles. Vendo gente legal e desagradável no caminho, alguns amigos que nunca mais tinha visto (e que até alguns eu nem reconheci e reaprendi a reconheçer... como falei nos posts passados) e uns inimigos e pessoas que me dão nojo só de pensar... argh!!!!

De cosplay em dois dias no Anime Sun, a micareta do nana-banana e do bicho papão no Carnatal, da calça jeans preta e camiseta regata branca no carnatronic á camisa do game devil may cry, calça preta e luvas pretas com o sharingan desenhado em vermelho no caosnatal. Deveria dizer que vi de tudo e mais um pouco (e até alguns amigos trabalhando nos 4 eventos). Só que eu mais me foquei foi o Anime Sun, pois tem haver com a minha monografia. Cada um teve a sua peculiaridade (que prefiro guardar em minha mente) Esses dois dias eu reaprendi a conheçer alguns, até mesmo a ver e demonstrar minha gentileza e simpatia com meus semelhantes. Acho que não sei se eu seria um bom pai, pois as vezes participo muito da vida dos meus filhotes (e até ajudando eles em suas empreitadas... seria uma espécie de felicidade de cupido?). Até entreguei de presente a uma amiga, a Marina, um colar relógio do Mokona... e fiz uma pequena feira pra mim também.

Ficou assim esse fim de semana passado:
Quinta Feira: Carnatal (prudente de morais) e festa com amigos (lual na praia do forte)
Sexta-Feira: Carnatal e Carnatronic (kartodromo)
Sábado: Anime Sun(CDF da Roberto Freire) e Caosnatal (largo da rua chile)
Domingo: Anime Sun e Carnatal
Segunda-Feira: Ressaca...e a noite a apresentação de um TCC de um amigo meu que tirou 10 em sua apresentação, felicidades para ele... o Helton ^^

É até estranho, ver todos os meus amigos se formando... e eu a ser o único a apresentar. Talvez eu seja uma espécia de o último dos moicanos? Quem sabe. Desde que eu me apresente... não faço questão. Então, acho que é só isso... Um abraço a todos que visitam aqui, e... só como registro... coloco aqui uma pérola que vi e participei no evento Anime Sun: Cosplays cantando a música "hoje é um novo dia" (tema de fim de ano da globo). Vejam, e riam XD




ps: o poema que falei que acabei escrevendo esses dias... acho que minha veia filosofica as vezes dá um xilique e me volta sem eu menos esperar.


Por quê?

Vivendo em meio a um paradoxo
Tento esconder minhas lágrimas
em um belo sorriso,
Mas o meu olhar triste,
de olhos distantes
me acusam e me denunciam


Eu vejo os mares, onde brado aos céus!
Eu admiro a paisagem, onde viveria ao léu....
Quando tenho tempo, ainda sonho
Onde, dentro dele, imagino:
Será este o meu destino?


No meio de tanta hipocrisia,
De tantas máscaras vestidas
Eu vou tentando encontrar um porto-seguro
Em uma falsa felicidade efêmera
Onde tudo é passageiro, "ficável"
Apenas me sobra o questionamento:
O que vai ser desse mundo?

E nessa fria e crua realidade
Eu tento ter paz, eu tento não sofrer
Até faço um grito: Eu tento viver!
Mas pra que viver....
Se eu já nem sei mais o porquê?


4 de dez de 2008

A união fazia a força... hoje, faz açúcar.

Uma foto que recebi hoje... falaram que eu era assim.

Despertando para um mundo novo (bem, não tão novo assim). Observara como o homem é uma coisa tão irrisória e cheia de idéias que eu mesmo acho que a criatividade é um artigo de luxo em meio a multidão. A foto acima que me passaram, essa de um garoto com cauda e orelhas de gato... falaram que era o que poderia se parecer com o meu "eu antigo". Eu me achava tanto assim um gato? Nossa... mas... sei lá, essa foto parece tão emo... mesmo eu gostando da cor preta e vermelha.

Esses últimos dias tem sido bem reveladores para mim: Saber que eu já fui um cosplay; que terá um evento de música eletrônica e um evento de anime e mangá próximo ao período do Carnatal (aqui na cidade onde moro, em Natal... esse evento é um Carnaval "fora de época") que fui convidado para ir a ambos; ser chamado de viciado em dois jogos - Tekken e Guitar Hero - sendo que esses nomes (e jogos) não me são familiares; saber que um dos meus tios é gay e uma das minhas tias é lésbica; que o grupo de amigos que mora perto de casa me chamavam de paladino por causa de um personagem de warcraft 3, o King Arthas. E o engraçado era eu me admirar com essas afirmações e o povo ficar de onda comigo dizendo "meu... mas vc já sabia disso há muito tempo".

Abrir o meu armário e uma espada de quase 1metro e meio e um controle em formato de guitarra até me fez pensar que nada daquilo era meu. Observar cartas escritas por mim, um diário com palavras minhas até o o mês de setembro e outubro (o que me faz pensar: eu era escritor ou coisa do tipo?), algumas bijouterias e muitas revistas e papéis xerocados. Até encontrei um cartão de um Motel que me conbedia 10% de desconto no pagamento. Tudo no meu nome... e quando eu começara a ler o diário... meus amigos me chamavam para realizar um sonho e fazer um projeto que nós tinhamos elaborado. Até eu fiquei pensando algo do tipo "como assim... nós?" enquanto a curiosidade me movia para saber o que seria esse plano.

Como um grupo de amigos, movidos por uma única vontade de realizar um sonho poderiam inovar em uma coisa? É... eles me provaram que poderiam e fizeram algo novo: O garrafão de coca cola de 20 litros. As cenas de riso e felicidade de ver um sonho que eles tinham em comum até fazia eles se sentirem crianças vislumbrando um brinquedo novo. Isso sem contar as piadas em comum, os risos sobre as histórias pessoais de cada um, a competição de "vira - vira" com copos de 500 ml até a boca, A torta deliciosa feita pela Denise (a esposa/namorada/mulher/sei lá o que de um amigo meu, o Davi), as risadas e beijos de um ou outro ao garrafão como um amor a coca... eu hein, que povo estranho esse que conheço perto de casa XD.

Essa garrafa ainda ficaria cheia de coca cola...

No fim, acho que tudo isso que está acontecendo a mim deve ser como uma nova forma de aprendizado, parece que essa nova vida que adquiri me fez visualizar um mundo diferente do que eu era acostumado. E até disso eu posso emendar com pérola do tipo "Propaganda Master Card" para essa nova vida:

Ajudar um grupo de amigos a comprar 21 litros de Coca -> R$ 5,00
Roupas novas e se sentir bem com isso -> R$ 150,00
Vestimenta de Cosplay + Guitarra do Jogo "guitar hero" -> R$ 0,00
Aprender coisas novas a cada dia, mesmo tendo esquecido de tudo -> Não tem preço!!

Live and Let Die... or Live and Let Live?
Aquilo que apareçer, é aquilo que vier...

Ps: Como ando fuçando a internet muito esses dias, até acabei achando uma matéria interessante: Garfield fez 30 anos de Vida no último dia 01 de dezembro (link da matéria aqui). Só que a data do seu aniversário caiu justamente em uma Segunda-Feira, dia que ele mesmo mais detesta e falava em todos os seus quadrinhos. Que ironia para esse gato tão irrevente não?

Ps 2: Recebi esta imagem aqui do sitel gelbooru.com e achei uma bela paródia. Quem mais reconheçe a paródia na imagem abaixo?


28 de nov de 2008

Despertando e Recordando: Como ver a Luz no fim do Túnel e não entrar nela...

Acordar com uma Luz forte no seu rosto, ver 2 agulhas tipo estrela no meu braço, o som da "I want it All" do Queen tocando no meu quarto e um enjôo forte seguido de uma dor de cabeça de matar. Essa foi a minha primeira visão, audição e sensação que tive ao retornar a esse mundo. Nem sei como fui parar em um quarto no Hospital da Casa de Saúde São Lucas, apesar de sentir o gosto salgado e amargo na boca, não é do mesmo produto que consumi e especifiquei no post anterior, mas sim alguma coisa do hospital.

Nunca pensei que 1g (ou um comprimido) de Cianeto iria me botar para dormir. Pela minha boa vida, eu sou resistente a doenças e coisas do tipo (até estranham pois eu raramente pego uma gripe ou resfriado). Só que essa coisa realmente me derrubou que eu nem percebi. O mais surpreendente ao meu ver foi ficar por quase 10 dias apagado do mundo. Será que perdi muita coisa nesse tempo?

A forte no corpo inteiro e na cabeça até me faz achar que fui atropelado por um caminhão, dando pra ver o nome "PIRELLI" autografado nas minhas costas. Até falando nas minhas costas, vejo uma tatuagem nela que não me lembro quando a fiz. É um simbolo bonito, um Yin-Yang personalizado. Onde o Yin (parte Branca) está envolto em Água. O Yang (parte Preta) está envolto em Fogo. Só que tem uma pequena peculiaridade: Tem o meu nome em cima do desenho e o de uma mulher sobre ele. Quando eu fiz esse desenho? não me lembro...E o nome da garota? é o mais estranho disso tudo, para mim é um nome familiar... Tento me lembrar, mas esse nome me é familiar...começa com a letra "D"...é um nome bonito... mas não sei de quem é...

Essa é imagem, com o meu nome na parte cima,
e o outo na parte abaixo...


Até eu acordava, olhava um rádio no canto da sala tocando a rádio 103,9 FM (acho que dali estava vindo o som do Queen, pois só eles tocam músicas assim), e até engraçado fora só ver umas 5 ligações nesse tempo que entrei nesse "sono profundo". Duas de amigos meu aqui do bairro onde moro, uma de uma amiga da faculdade para fazer a apresentação de um trabalho de espanhol (até iria pedir a capa a um amigo emprestado), e duas do meu chefe do estágio (outra coisa que me enrolaria todo, pois eu pensava que estava em um orgão federal e recebo ligação de outro perguntando sobre eu ir lá trabalhar ou não... ou seja, mudei de lugar de trabalho e nem sabia XD).

Quando consegui me levantar, até vi uma enfermeira lá na porta. Entregando remédios na porta dos outros quartos, quando me viu saindo até veio em minha direção dando uma bronca pra lá de grande. Ela depois viria me confessar que fora minha irmã que me vira deitado na minha cama com a respiração fraca e com o cheiro do chá e do vinho, pensou que eu tivesse feito algo mais grave (o que, de fato, estava certa). Ou seja, nem meus próprios pais perceberam que eu tinha quase feito uma viagem sem volta para o paraíso. Quando volto pra cama, até encontro um recado dela e uma carta da minha família dizendo sobre o que tinha acontecido comigo e que era para eu ser forte. É... minha família só percebe que eu estou mal quando já estou nas últimas, ou seja, típico... não deveria me espantar. Diálogo nunca foi o forte aqui.

Quanto recebi alta retornei, hoje para o acessar meus emails e coisas particulares, não reconhecia muitas pessoas. Algumas eu acho até que nem conheço, mas passaram lá para deixar um feliz aniversário. O que mais achei curioso é que eu até respondi alguns antes de ficar internado, e que até alguns sentiram minha falta, será que eu era popular assim ou só escolhia os bons amigos? Talvez eu ache que vá dar algumas cabeçadas com algumas pessoas e até mesmo não as reconhereçei... talvez algumas me olhem torto... outras apenas irão nem ligar, ou até posso ganhar uma porrada por isso. Mas, perdoem se esse gato lokinho passar por vocês e não mais as reconherem... é muita coisa para uma cabeça só XD.

Bem, acho que é só isso. Acho que o efeito desse Alucinógeno me fez esqueçer algumas pessoas, alguns fatos e até alguns nomes... não seise isso será bom, pois acho que isso me ajudará a viver bem... mas tenho o pressentimento de que algumas pessoas vão olhar para mim (com rosto bonito ou feio) e eu não saberei agir ou falar.

Seja bem vindo ao mundo novamente Kyo
A realidade o aguarda...

ps: Até uma brincadeira que achei engraçada quando eu pesquisei. Mas justamente no dia que eu começei a acordar para este mundo é o mesmo que o cantor de uma das minhas bandas preferidas morre, o Freedie Mercury da Banda Inglessa Queen. De certo modo, eu ainda acho que não retornei a essa terra, e nessa data, por mera coicidência...

ps 2: E enqaunto escrevo e termino este post, vejo na TV que até teve show dos ex-membros do Queen aqui no Brasil e falando sobre a volta de 2 dos 3 integrantes. Ou seja, ainda continuo achando que não foi mera coicidência...


19 de nov de 2008

"O mundo em torno do meu aniversário", ou talvez o meu último post...

Olá a todos, utilizando uma nova ferramenta que descobri do Blogger, você pode programar que um post seja veiculado em uma data ou dia para publicar um dos seus trabalhos. Marquei que esse post deveria ser publicado no dia 19/11 às 19:11 hs (não é mera coicindência... foi proposital mesmo). As pessoas que acessarem este blog, depois me respondam se o post foi publicado neste horário mesmo ou em horário diferente.

Deveria começar dizendo que estou me preparando para uma viagem interior. Não confundam com viagem ao interior porque não vou sair de Natal. Só estou aqui testando um modelo novo de terapia que vim a aprender com um grupo na UFRN. Eles se dizem Psiconautas... pois lidam com termos que alteram a mente e o corpo, numa espécie de "auto-conhecimento".

Enquanto escrevo este post, estou até aqui preparando o vinho que irei tomar em conjunto com o chá que preparei hoje de tarde. Os cogumelos, o leite condensado e a água quente já estão prontos enquanto eu preparo aqui o vinho, o cianeto e o resto do leite condensado. Primeiro tomo o chá, depois o vinho... ou seja. Vou dormir como um anjo pelos próximos 3 ou 4 dias, isso sem contar o sono que vou ter.

Desde que eu os conheci em um trabalho na UFRN que vinha querendo fazer essa experiência. Saber o porque desse meu estado alterado de tristeza... até como os meus textos e trabalhos do estágio e da vida real me carregavam tanto com este sentimento sem eu notar. Ficar calado e de olhos tristes chamava a atenção de pessoas que eu nunca havia conversado:

Esse trabalho que botei acima, por exemplo, foi um trabalho que fiz com a ajuda de Hercília Fernandades, uma parente da minha ex-chefe Aparecida para apresentar em um evento do meu ex-estágio (a Receita Federal... até hoje aquele lugar me dá arrepios). Curioso que ganhamos o 3° Lugar na categoria "Poesia". Interessante ser recompensado por esse estado que pretendo me livrar, mas já que ganhamos. O que veio foi até um bom lucro :)

Esse dia de niver foi até bom para ver como pessoas sumidas se lembraram de mim no dia do meu aniversário. O dia no estágio em ver um cartão e um papel com uma lembrança do grupo do RH até me fez sorrir e escutar um "está vendo, ganhei a aposta!!! Fiz o Lucas sorrir!!" do chefe do setor, o Weber (E pensem numa vontade de mandar o cara ir tomar naquele cantinho... ah deu XD).

Essa noite eu vou na Facex para ver a apresentação dos trabalhos do grupo de Recursos Humanos. Só espero que o povo não estranhe o fato de eu estar meio arrumado demais (de terno e gravata preta). Eu vou estar saindo de um trabalho da UFRN e espero conheçer as amigas da micheline e ver como ficou o trabalho que fiz para ela e as suas amigas (que, se me lembro bem... são Kaliny, Sânia e Larrisa).

Quem tiver a curiosidade, posto aqui só os ingredientes
Estão até aqui os ingredientes:
4 Cogumelos do tipo "Amanita Agaricus Campestris" (cultivadas na UFRN).
300 ml de água quente (uma xícara de chá cheia)
1 Peneira Pequena
300 ml de Leite condensado (meio copo de requeijão
1 g de Cianeto de Potássio (tamanho de uma capsula)
200 g de Vinho Tinto (copo de Geléia americana)

Então, acho que isso é um breve "até logo" a todos...espero que os meus amigos e leitores tenham gostado do que publiquei aqui. Acho que é só isso que tenho a falar a todos. E antes de concluir esse post, só vou tirar um sarro com umas matérias aqui que achei nas últimas semanas enquanto navegava pela internet:

1 - Diário Catarinense - "Lanternas vendidas em Bazar escondiam remédios contra a impotência (matéria aqui)
-> Acho que agora eu sei porque tinham mais jovens e adultos aderindo a moda "camping" nesses ultimos tempos...

2 - O globo - "Boxe terá sua primeira luta entre anões" (matéria aqui)
-> Imagino a cena antes da luta
Juiz: Lutadores... vamos fazer uma luta limpa e nada de golpes baixos...ops...
Lutadores: Você tah de sacanagem com a gente neh?
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

3 - Portal Cocal - "Jovem descobre que namorada grávida era travesti"(matéria aqui)
Simplesmente mais um homem que caiu no golpe da "Propaganda Enganosa" XD (Depois quando eu falo que o mundo está perdido... ninguém acredita)

4 - O Dia - "Salgueiro abre inscrições para Ala Gay" (matéria aqui)
-> Até deu a vontade de falar "E a Mangueira vem logo atrás". Mas tenho muitos amigos gays e cada um escolhe o que quer e ser feliz com isso. Boa iniciativa do Salgueiro! E vamos deixar os gays trazerem alegria para a Sapucaí :)

5 - Portal G1, da Globo.com - "Roubo de Privada termina em perseguição de Helicóptero na Argentina" (matéria aqui)
-> Não sei porque, mas acho que o cidadão queria apenas "sentar no trono"

6 - Outra do Portal G1, da Globo.com -" Série Infantinl é próibida para menores de 18 anos na Finlândia" (matéria aqui)
-> Bem que eu ouvia isso dos meus pais e que já li isso no site do Kibe Loco: "Todo Conto de Fadas tem um pouco de Canto de F..." er, deixa pra lá

7 - Portal G1, da Globo.com -"Escola de Música de São Paulo usa 'Guitar Hero' para auxiliar no aprendizado" (matéria aqui)
-> Vamos mudar o conceito de "banda de fundo de quintal" para "banda de TV de fim de semana (ps: e eu farei parte desse grupo XD)

E pra finalizar com Chave de Ouro em homenagem ao dia 19 de Novembro, duas matérias toscas

8 - UOL Brasil, com fonte da BBC Brasil - "Mulheres obesas sofrem mais estresse, constata pesquisa" (matéria aqui)
-> Sei não...mas o que conheço de gordinhas felizes, gostosas e que "mandam ver" muito bem me faz discordar... acho que vou apresentar algumas conhecidas para esses pesquisadores

9 - Portal G1, da Globo.com - "No dia mundial do Banheiro, evento troca cadeiras por privadas"(matéria aqui)
-> Pronto, não tem mais a desculpa de "posso ir no banheiro?" para sair daquela palestra chata XD (Ainda acho que o argentino que citei na matéria acima queria já "reservar o seu lugar" no evento, mas vai saber)

Bem... então é isso. Obrigado a todos você que lêem este blog. Quando eu acordar... venho aqui relatar nesse blog como foi a experiência. Um abraço a todos, e que se tudo der certo... eu os encontrarei por aí.

Uma entrevista nada comum (parte 2 e entrevista final)

No mês de Maio, tinha pensado em elaborar uma entrevista “fictícia” ao programa que gostava de ver na TV Cultura, o “Provocações” (quem tiver interesse de ler novamemente, é só clicar aqui) Naquela época eu era totalmente diferente dessa pessoa que sou hoje. E que talvez aquela entrevista não se repita da mesma maneira que a de hoje. Se todos nós somos mutáveis, porque não poderíamos reescrever algumas histórias como novas facetas e novas emoções?

Tentei colocar essa entrevista ontem (18), mas como não consegui devido aos meus atrasos e tempo ocupados (além do poema que montei acima)... resolvo publicar hoje no dia do meu aniversário.Então, espero que gostem dessa segunda entrevista, fictícia novamente, nas letras e imagens do programa “Provocações”. Onde novamente as perguntas de Antônio Abujamra irão bater de frente com o humor ácido e melancólico do jovem artista Lucas, o Kyo.


Ps: a noite ainda terá outra publicação, e talvez uma das minhas últimas... aguardem...

----------------------------------------------------------------------------------------
Abujamra – Provocações, Provocações, o velho clichê das Provocações e ainda com os mesmo formato de Programa.. Incrível como mas as pessoas ainda assistem a isso, mas como eu sempre digo aqui “Nós não provocamos, somos provocados.” Nem sei porque eu o trouxe de volta, mas o jovem provocador, que mesmo antes dizendo que é ser um romântico assumido, fala como o mundo está perdido, principalmente o dele. Com o característico humor ácido e cômico, continua a postar os seus pensamentos e idéias em um blog, o “Focalizando Idéias”. Ele é... Lucas Mateus, mas escreve com a assinatura de “Lucas, o Kyo.”


Lucas – E a mesma câmera me olhando antes de começar a sua primeira pergunta... é... o formato de programa é bom e vai render Abujamra. Coisas velhas e bem feitas sempre rendem boas histórias?


Abujamra – Quem faz as perguntas aqui sou eu garoto... mas já vejo seu humor nada acido. Então eu começo: Quem é você. Agora?


Lucas – Uma pessoa que não sabe o sentido completo da vida... antes era um “come-quieto” romântico mal amado. Hoje, não sou nenhuma das duas coisas e muito menos um artista, continuo com minha mente afiada para textos e críticas, mas o sentido da vida? Não tenho a menor idéia.


Abujamra – Nossa... só isso? Já vi pessoas mais nebulosas que você dizerem que são “anjos”...


Lucas – Se eles o forem, sorte a deles... Há muito tempo não sou a mesma pessoa de antes. Muito mesmo o “cara legal e engraçado” que ajudava os amigos nas horas críticas. Continuo ajudando os amigos nos momentos difíceis, mas vejo as pessoas com outros olhos. Sobre ser um cara legal e engraçado? Não, obrigado... só o sou quando tenho vontade.


Abujamra – Para acontecer essa mudança, teve algo muito e até mudaria a pergunta “Qual foi a maior imprudência da sua vida?” O que eu deveria lhe perguntar, jovem ácido?


Lucas – Já esperava por essa terceira pergunta, e só poderia dizer que a maior imprudência? Bem...eu já a fiz no começo do mês que foi deixar tudo para trás daquilo que lutei e queria como vida. Agora, ainda sobre a imprudência, eu irei completa-la agora no dia do meu aniversário. O dia? Próxima quarta-feira, dia 19...


Abujamra – Como assim completa-la? Ainda não terminou?


Lucas – Não, já ouviu a expressão “se você vai ao inferno, vá com um sorriso?” Diria que essa metáfora vai responder a sua pergunta...


Abujamra – Ainda prefere um destino humano ou mudou para uma obra?


Lucas – Nenhum dos dois me agrada mais, apenas vivo aquilo que um dia eu deixei. Vivo o sacrifício e a afirmação que o Budismo tem a me mostrar. Não conseguir o amor da pessoa que mais amei e amo já é, para mim, o pior dos destinos humanos. Sabe o que é ver puder ver os seus filhos que ainda não nasceram dentro dos olhos dela? Desejar dizer a ela que é desejada e única? Que ela poder segurar você até o ponto que saiba como ela precisa ser tocada? Respirá-la e saboreá-la até que você possa sentí-la em seu sangue? Aí sim você saberá que realmente ama uma mulher. Isso eu vi… isso eu vislumbrei…por isso eu lutei e venci barreias... isso eu desejei e desejo… mas, isso eu perdi… e perdi para sempre, com todas as minhas vontades.


Abujamra – Não entendi essa parte bem... acha o pior destino humano não conseguir amar uma mulher? Achas que é um “Dom Juan de Marco” da vida, garoto?


Lucas – “Do you really loved a woman? Abujamra?” O amor nos dá coragem como também dá fraqueza. Agora, sobre o filme, sempre que posso eu o vejo... é uma boa aula para mostrar como um homem realmente deve amar uma mulher. Mesmo que isso possa beirar a linha tênue do amor e da loucura.


Abujamra – Ser ou parecer?


Lucas – Ainda continuo com o ser, pois o gosto de estarmos “a vontade” e “em vontade” com quem desejos é bem melhor do que estar em um lugar que não gosta só por status e fama. Ou simplesmente para ser o alvo de flashes, atenção e paparicos. Gozem a vida, Gozem com a vida.... e Goze muito dela enquanto a tem... porque quando não tiver mais força para isso, verá como o gozo tem um valor importante.


Abujamra – Declaração ambígua essa... você sempre é assim?


Lucas – Não, mas diria que depois desses últimos tempo. Não um recurso melhor para dizer aquilo que quero e fazer as pessoas ficarem sem graça ou sorrirem, coisa que não faço a muito tempo.


Abujamra – Prestígio ou boa morte?


Lucas – A boa morte, nada melhor do que ir dessa para melhor em bons lençóis...


Abujamra – Mesmo com tudo aquilo que me falasse?


Lucas – já falei que eu perdi aquilo tudo? Não vejo mais motivo para uma boa vida sem alguém que gosto, isso seria sim um motivo para “prestigiar” uma “boa morte”... se entendeu o trocadilho.


Abujamra – Você entra em angústia, Lucas?


Lucas – Me faço essa pergunta todo santo dia... e sempre tenho a resposta: algo em torno de 2 ou 3 vezes por semana assim que acordo pela manhã.


Abujamra – Quando você entra em angústia?


Lucas – Antes a minha angústia era ter de entre “ficar parado e quieto” e “agir e demonstrar todo o meu potencial”. Hoje, ela talvez seja entre “conseguir conviver sem o amor de quem gosto” e “a certeza que nunca mais serei a pessoa engraçada e animada de antes, apenas um reflexo dele”. Podem achar que sou radical, não me importo. Mas sou fiel aos meu ideais e luto pelos valores que acho verdadeiros. No entanto,respeito a diferente visão de mundo das pessoas que passarem pelo meu caminho. Como já falou meu mestre budista: “Não há que ser forte. Há que ser flexível.”


Abujamra – Você chora?


Lucas – Respondo a mesma coisa de antes: “Sim, e porque não deveria?”


Abujamra – Você chora diante da beleza ou da tristeza?


Lucas – Tudo aquilo que me emociona eu choro... pode ser desde uma música marcante, um momento glorioso, uma cena que mexa com minha vida e idéias. Andando pelo mundo, contestei realmente que não são todos os homens que demonstram isso, e como ainda continuo sendo um homem que não é “padrão” ao estilo demarcado por esse mundinho .Sempre poderei dizer que posso me dar a esse luxo.

Outra coisa, também nunca sei quando vou chorar ou não. Posso ser forte, mas nunca fui de ferro.


Abujamra – Já teve algo que se arrependeu de fazer ou de não ter feito?


Lucas – Esse meu modo de ver o mundo agora é um reflexo de um arrependimento, Abujamra. A perda de um sonho que sempre quis construir não é algo que nos recuperamos da noite para o dia. A vida me mostrou como a mesma pode ser cruel e fria, da mesma forma que pode ser amorosa e agradável. Já ouviu falar que “a mesma mão que acaricia, apedreja?”


Abujamra – Me diga qual o maior equívoco que as pessoas cometem ao falar de você?

Lucas – Ainda continuo me irritando quando me tacham de “mentiroso”, “falso”, “traira” e “indigno de confiança” pois sei que sou humano, e como todo humano sou passível ao erro e a cometer equívocos. Nunca fui um poço de verdade e uma pessoa a qual venha ensinar o Dom da Sabedoria, apenas vim para mostrar novas visões e mundos para as pessoas que vivem nessa Terra.

No entanto, uma coisa que recentemente me tacham e que ainda me irrita e achar que “todo esse erro não é culpa minha”. Sei muito bem da consciência de meu atos e que eles, de certo modo, me levaram a esse atual estado. Posso estar triste e com meus problemas sentimentais e emocionais, é fato! Mas não sou o tipo de pessoa que ocupa os amigos para acabar com a minha tristeza... posso até conversar com meus amigos sobre isso, mas não jogarei um peso para eles que é meu dever saber lidar.

Abujamra –>Você ainda tem amigos?


Lucas – Sei que tenho, pode não ser muitos, mas terão sempre um espaço em minha vida. Eles são as pessoas que eu tiro o mundo das costas se for possível para ajudar a caminhar com as próprias pernas. Ajudei uma grande amiga a ser uma pessoa melhor, e me orgulho dela até hoje... mesmo sabendo que por causa o meu amor ela acabou sofrendo algo que não deveria. Engraçado, que até por causa dela... eu chorei por seu ato nobre quando lhe entreguei uma rosa e até lembro da frase que falei para essa pessoa “Posso ser forte... mas não sou de ferro” (risos). Já levei facada nas costas de alguns sim... e esses eu mesmo faço questão de dar o troco de volta. Vingativo, posso até ser... só não gosto que façam brincadeiras comigo e acharem que vão sair impunes. Posso ser amigo, mas não passo a mão na cabeça.


Abujamra – Nem sei se devo ir para as citações pelo seu humor jovem... mas o programa é meu e eu o farei assim mesmo: “É mais fácil obter o que se deseja com um sorriso do que com a ponta de uma espada”. Afirmado por Shakespeare?


Lucas – Diria que isso é uma meia verdade. Um bom sorriso realmente é capaz de derreter o coração mais obscuro de um homem e até faze-lo sorrir. Mas em alguns momentos temos que saber ser sérios se quisermos a atenção.


Abujamra - “A poesia não é senhão a vida passa a limpo através do sentimento”, dito por Armindo Trevisan”


Lucas – È nisso que se encontra o principal poder da poesia. Isso é até uma marca do meu signo: o Escorpião, que sempre faz todas as coisas regidos pela emoção..Sempre ensinei as mulheres e pessoas que passaram por minha vida que sempre devemos expor aquilo que sentimos. Pois uma vida sem sentimentos é uma vida vã e tola... em um mundo onde pessoas se encontram só para “ficar”, beijar sem compromisso e fazer o repertório de quantas pessoas já pegaram e transaram na vida. Ou seja, serem objetos em um mundo em que os homens estão se “coisificando” e os produtos estão adquirindo “alma”. Melhor dizendo, os nossos dias atuais.


Abujamra – “Quem pensa pouco, erra muito” como diria Leonardo da Vinci?


Lucas – Concordo com essa frase, mas simplesmente pensamento sem ação gera o ócio e preguiça. Se pensar... fale. Se falar... faça.


Abujamra - Qual a maior pessoa que você conheceu?


Lucas – A mesma resposta: Lucas mesmo... ou simplesmente Kyo


Abujamra – Ainda me provocando não é? Parece que gostas disso...


Lucas – “Não provocamos, Nós somos provocados”, esqueçeu o que você mesmo citou Abujamra? Se não fosse assim o nome não teria o programa, não é? Agora só me desculpe a sinceridade, mas acontece que depois de tudo que passei tive a aprender que perguntas cretinas merecem respostas iguais...


Abujamra – E qual o maior autor que você não conheceu?


Lucas – O criado do livro “O mundo de Sofia”,Jostein Gaarder. Queria realmente saber e mostrar como uma boa conversa pode evitar guerras e destruição.


Abujamra – Agora, olhe para aquela câmera e diga o que você quiser, do jeito que você quiser, pra quem você quiser. Enforque-se na corda da liberdade!


LucasPoderia dizer isso para uma pessoa em especial, ou para várias que conheci e ajudei se tornarem melhores. Mas só falarei uma coisa: Nós nunca precisamos aprender que os amigos mudam. Sei que não fui nenhum homem exemplar desse mundo. Sei que errei e com meus erros permiti que pessoas fossem feridas e magoadas, mas não quer dizer nunca tive virtudes. Por isso, não jogue fora aquilo que construiu ao lado de alguém. Simplesmente conviva com ela... pois as pessoas mudam e, com elas, a sua vida também.


Abujamra – Dê cá um abraço, que é a única coisa falsa deste programa!



3 de nov de 2008

Halloween, Finados, Games, Livros, Rosas,Pizza e Musica Rock e Alternativa (e nada nesta ordem): Um perfil do Jovem Universitário Lucas, o Kyo




Nesse Blog que considero como uma "extensão da minha futura profissão", deveria hoje escrever uma crônica, uma reportagem, uma matéria ou até mesmo um texto literário com um cunho mais jornalístico. Mas, esses últimos três dias renderam tantas histórias que poderia eu mesmo hoje escrever um perfil sobre mim mesmo (se vocês não entenderam, nem eu entendi....). Muita coisa aconteceu nesses 3 dias. Se não quiserem ler "uma pequena história da vida real" e não quiser se admirar pode parar neste parágrafo mesmo e nem começe a ler os demais que virão.

Chegamos ao Mês de Novembro (mês de aniversário dos escorpianos e sagitarianos, e eu me incluo nesse período) e percebo que o ano passou e muito rápido. Tão rápido quanto as mudanças que me aconteceram: de um homem de cunho animado e simpatico com um noivado a caminho e feliz para um jovem de tendência séria, amigável, de olhos tristes e profundo com um espírito lutador e rebelde; Um jornalista em fim de curso sem muitas expectativas da profissão para uma pessoa ativa e que planeja mudar de cidade para fazer um curso e até,se puder, trabalhar nesta cidade (Rio de Janeiro); alguém que antes esbanjava dinheiro e saúde por ser estagiário de um órgão federal para outro estagiário que paga as suas contas e que procura sempre uma chance de ganhar por fora com algum trabalho. Mas nada do que estes útlimos 3 dias para mostrar tudo.

Um sexta para se dedicar a leitura de tudo que é tipo de livro (de redação jornalística até os contos erótico e hentais de internet), um sábado com sessão de games com um pouco de Digimom Rumble Arena 2 gravado na câmera digital do meu amigo Joey Barata, uma Festa de Halloween com os amigos Otakus onde interpretei um lupino do jogo "Lobisomem, o Apocalypse" (onde consegui fazer as pazes comigo mesmo e com alguém que permiti que fizessem mal e que aliviou o meu espírito e coração), alguém em especial para visitar nesse dia de finados no bairro bom pastor, show a noite no largo da Rua Chile e pizza para entulhar no fim da noite de domingo.

Uma sexta feira atípica, passadas em letras e palavras por um olho curioso que somente ficava a ler as palavras de um site Dejo Vu. Esse era eu lendo e preparando coisas para minha monografia. Um dia sem muita coisa de atrativa, só o fato mesmo de descobrir bons textos e ajudar um amigo pelo MSN (o fábio Ark-Angel) com um dos seus problemas.

Todos temos nossos medos e derrotas, mas sempre essas lembranças (boas ou não), apareçem para nos testar. Ensinar isso a ele fora bom, mesmo sabendo que eu ainda estou bem longe disso...Antes de dormir, só acendi um incenso e orei por melhoras para minha ex-sogra Cirlene por melhoras em sua saúde (uma mulher que, de certo modo, se tornou uma segunda mãe em minha vida, sendo melhor que a minha própria em muitos aspectos, principalmente na compreensão).

Sábado já era um dia mais ativo, saida com os amigos de 10 horas para pesquisar preços em gráficas para um projeto de camiseta (do grupo de Tekken que faço parte, o TNT -> Tekken Natal Team). Fora rápido a viagem e até passar na Loja da Impressão e comprar os materiais necessários para minhas duas tatuagens do meu personagem (lupino do RPG "Lobisomen, o Apocalypse").

Acabei até por conheçer uma atendente bem gentil e simpática que achou meu nome bonito. "Você acha seu nome feio é? Ou não gosta do seu nome? Lucas Mateus...dois nomes tão bonitos assim...", falava Karina, a jovem que me atendia. Acho que não dava para ela uns 20 anos de tão nova e bela que era a guria. Bem, consegui o fone dela e o email... quem sabe não começemos um bom papo?

Mais tarde, retornei a casa do meu amigo Davi para jogarmos botar os papos em dia. Quando chego por lá está todo o grupo que saiu hoje de manhã comigo jogando Digimon Rumble Arena 2. Aquela Sony Cybershot acoplada a um tripé gravara as nossas partidas e as piadas enquanto jogavamos. Náo podia ficar muito tempo pois ainda tinha que ajudar meus amigos a organizarem o Halloween no apartamento de um deles (o Bruno Mello, mais conhecido no mundo otaku Natalense como "Shinta"). Até chegar lá e já ver alguns ajudando na arrumação do salão, cada um ao seu modo e aos poucos o salão estava ficando todo decorado.

Comida, bebida,músicas que oras eram boas e oras eram ruins. Cada um aprontava e bagunçava do jeito que podia, com direito a coreografia da música Y.M.C.A do Village People (e que eu participei pagando esse Kong) e as risada no concurso de melhor fantasia e apresentação. Até fiquei junto com a Vanessa Usagi, onde conversamos, rimos a vontade e finalmente pude ver e pegar a minha Guitarra Wireless de 10 botões do Game "Guita Hero" (e a minha nova inspiração para continuar a jogar).

Por lá acabei conheçendo melhor um membro do Grupo Otaku Anime, o Gutz (nome original: Everson). Ficamos bem amigos por lá e percebi como as nossas vidas, em partes, foram bem parecidas (de romances a tragédias típicas do teatro grego). Vi nele um amigo em potencial, que até me ajudou a dar uma idéia e forças a conversar com alguém que precisava, a Kazami (nome original: Renata Caline; Status: morta XD), que depois de tanto tempo a vi madura e diferente.

O Halloween foi legal e deu para se divertir e dançar em certas horas, só devo pedir desculpas a Kazami e a Marina(outra amiga do Otaku Anime) que se sujaram com o nankim da minha tatuagem. Acho que na próxima vez eu irei atrás de uma resina que preste(ou um Nankin que não suje tanto -__-V). Além de propor ao Shinta uma nova idéia para o grupo Otaku (organizar a festa em um salão onde possa rolar o som alto até de madrugada).

No domingo,dia de Finados, era o dia de visitar uma pessoa em especial para mim este ano. Algo torno do meio dia estava eu a caminho do Cemitério do Bom Pastor para velar e agradeçer ao meu amigo Carlos Searom. Chegava algo em torno das 14 horas quando vi ao longe a minha amiga e viuva do Searom, a Isis. O leve rosto de espanto seguido da Frase "Não pensei que você viria Lucas" a deixou sem ação por um tempo, até a abraçar e acalmá-la.

Deixei a minha rosa que comprei para o meu amigo e orei por ele. Até vendo a minha ação, ainda vi a Isis como quem quisesse se segurar para não se desmanchar em lágrimas. Aquele ato ao mesmo mesmo me fascinava (pois demonstrava grande força de vontade) como me preocupava (não devemos segurar nossas emoções, elas simplesmente devem ser ditas). Vendo isso, até parafrasiei uma frase que tinha usado com o meu amigo Fábio citado acima. Acho que a frase era algo assim:

"E ínteressante. Mas, com o passar dos tempos, começe a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança."
(Lucas, o Kyo... parafraseando sobre o texto 'um dia a gente aprende', de William Shakespeare)

Completei a minha oração colocando a minha rosa branca e o incenso no sepulcro de meu amigo e me despedi da Ísis a abraçando bem forte. Enquanto saia, observara ela olhando para mim e mandava um sorriso acenando com a mão, enquanto os olhos continuavam cheios d'água.

Nesse finzinho de domingo, ainda fui convidado por alguns amigos pra ver uns shows lá do largo da Rua Chile onde estava acontecendo o Festival DOSOL (onde bandas de rock se apresentam nas casas de Show da Ribeira) para ver alguns shows. Até deu para aproveitar o som das bandas CALISTOGA, DISTRO (do meu amigo de curso na UFRN Vinícius Menna) e BRAND NEW HATE. Vi até dois amigos por lá (e uma pessoa desagradável também) até quando o povo quis que o dia "terminasse em pizza".

Falando de Rodízio de Pizza na Ribeira e Praia do Meio só nos levou ao seguinte lugar: Stravaganza.Por lá mesmo chegamos todos para aproveitar a comida italiana mais famosa do mundo. Onde podemos comer, soltar as nossas piadas e pérolas do fim de semana e até ficar com a aquela sensação de "vou explodir a qualquer instante" depois de quase 30 fatias de pizza.

Quando andava pela praia na volta para casa, pude até ver uma coisa que me impressionou: O mar avançou a um ponto que destruiu uma grande parte do calçadão da Praia dos Artistas e legou até mesmo uma parte do Asfalto (como pode ser visto nessa matéria aqui) e o novo visual do Centro de Artesanato. Está algo mais sofisticado e moderno. Isso eu achei bom e um pouco ruim, mas se for para tornar o lugar melhor, que assim seja.

Que fim de semana, só acho que talvez não tenha outros assim... só vou ficar mesmo quieto e na minha. Organizando todos os meus trabalho por aqui mesmo... acho que é só. E nem sei se devia ter falado isso tudo acima, só deu vontade de escrever. E como toda vontade tem que ser correspondia (e não saciada, como muitos pensam), coloquei aqui tudo que quis correpondê-la.

A partir do próximo Post, voltaremos com a programação normal...

31 de out de 2008

Uma pequena aula de diagramação...

Uma pequena amiga minha, a Eli (do blog Esquizofrenia Coletiva) falou que via que o povo não cometara por causa da falta de imagens. Acho que poderia tirar essa postagem para mostrar a ela como apenas alguns elementos diferentes e modificados a um site pode tornar o seu trabalho interessante e mais agradável. Algo como uma aula para alguém em especial (e um pequeno deboche).

Usarei um texto dela em particular (e que gosto muito), o texto "Medo de Bruxaria". Vou apenas fazer alguns espaçamentos e ilustrações e poucas alterações que só a própria autora perceberá. E verão como as palavras parecem ganhar forma e vida ao lado das imagens.

Leiam, ou melhor... apreciem a "cópia autorizada" de um texto e imagens.
--------------------------------------------------------------------------------------------
MEDO DE BRUXARIA

MEDO DE BRUXARIA

MEDO DE BRUXARIA

MEDO DE BRUXARIA

No fundo, no fundo você tem medo de bruxaria. Diz acreditar nessas coisas, mas morre de medo. Medo daquela lua cheia, meio daquelas mulheres amarguradas que procuram feiticeiras. Imagina-as fazendo todo o tipo de coisa canibal. Mas sabe o que você mais imagina? Você costuma imaginar orgias de bruxos. Sim, sim, que nem naqueles filmes baratos.

Mas sabe? Você não é tão diferente das bruxas vistas na televisão. Não não. Você finge reza, chama Jesus sempre que lhe convém. Prega a palavra divina. Mas na verdade, na verdade você é tão suja e pecaminosa quanto aquelas mulheres. Então, pára para pensar como tudo aconteceu, e simplesmente lembra. Sim, foi quando aquela onda vermelha desceu por entre suas pernas. Aconteceu exatamente como a mãe da Carrie descrevia no filme “o exorcista”.

Primeiro são os pecados, depois o sangue desce, então vêm os homens. Babando e rindo com suas coisas desafiando a gravidade e falso jeito doce de “sex appeal”. Eles sentiram o seu cheiro e agora querem beber do seu rio, não tecnicamente dele, mas você sabe o que eles querem beber.

E você deixa, deixa eles se apoderarem de você como bestas. Você gosta, desde o começo você sempre gostou. Mas quase ninguém nota seus gostos. Afinal, vestida com aquelas roupas longas. Roupas educadas e recatadas, ninguém jamais notaria. Ha! Quanta vergonha para os que são como você mas o são com o coração. Você não passa de uma bruxa do pior tipo, daquelas das orgias, cujas lendas dizem beber sangue de virgens.

Então chega o dia de se confessar. E até imagino aquela cena: Lá vai você, com seu véu de falsa virgem. Senta-se próxima ao confessionário.”Perdoe-me padre, eu pequei” diz sua falsa voz doce, perfeitamente afinada para fazer derreter qualquer um dos babões que sentiram seu cheiro.

Você força a sua visão, sabe quem é o padre. Então sabe o que acontece? Sim, sim. Você começa a imaginar aquele padre bonitinho no meio dos babões. Sua imaginação dá voltas e mais voltas, mas o padre está sempre nelas como aqueles babões. Comoseria bom não é? Ser possuída por um babão em um confessionário. Oooh? O quê houve? Vejo suas bochechas corarem... Ah por favor, não seja boba. Você sabe que este seu desejo lateja e a enlouquece na sua mente, para não dizer entre suas pernas.

Mas bem, você conta todos os seus pecados. Menos, é claro, os mais importantes. Afinal, não quer o padre bonitinho te olhando torto, percebendo finalmente a sujeira por debaixo de suas saias e de seu véu falso. Você não quer as velhas comentando, não quer suas amigas indo embora pelo seu estilo pecaminoso e diferente de ser.

Mas de alguma forma muito estranha, você ainda sente muito medo de bruxaria. Aquelas mulheres realmente são assustadoras, não é?


----------------------------------------------------------------------------------

Bem, espero que tenham gostado dessa nova roupagem para um produto que já existiu. Então amiga, achou alguma coisa diferente?