Templates da Lua

Créditos

Templates da Lua - templates para blogs
Essa página é hospedada no Blogger. A sua não é?

30 de set de 2008

Cronica: A cidade dos Sonhos (parte 5) - Uma moeda tem dois lados...

Um dia após o outro, realmente as pessoas aprendem a vivê-los. No post passado eu falei que "mudou muita coisa nesse meio tempo, e que isso em parte até irá refletir nessas palavras. Uma mudança tanto externa quanto interna. Se dará certo, não sei..."Antes, nem saberia dizer se daria certo. Hoje, parece que eu finalmente vi que nada que eu tentei realmente surtiu efeito. A sensação do eterno "fogo de palha" as vezes me faz pensar se tudo isso que passou fora em vão. Será que viver um grande amor está se tornando obsoleto? Ou apenas a sensação de "ficar por uma noite e nada mais" está prevalecendo? Excessão a regra ou não, vejam 5º parte da crônica "A cidade dos Sonhos".

----------------------------------------------------------




Crônica: A cidade dos Sonhos (parte 5):
O amor é como uma moeda: ambos tem dois lados...

"Olhos grandes e profundos... os mesmo olhos que constroem tudo, os mesmos olhos que destroem tudo". Essa era a frase que o jovem Kyo terminara de escrever para a fotografia de uma amiga enquanto via sua nova visita mimir em seu colo. A jovem anja dormia em suas coxas como se nada pudesse abalar aquele momento, se arrumando e até mesmo beijando e lambendo aquilo que ela queria apertar e morder tanto.

- Calminha linda... assim vc arranca pedaço de mim XD
- hihihi, é que é muito bom... e se pudesse eu já teria mordido bem ^.^
- ui!!! devia era ter ficado calado pra não ouvir essa...
- nya... deixa vai, só um pedaçinho?
- assim vc vai depois sentir falta dela inteira pra lamber e morder não eh?
- nya... seu chato!!!
- hehehe... ownei você....

Brincadeiras de cada um parecia descontrair o tempo. Um tempo que no passado, para ambos, eram de uma leve dor. Mas que nesse curto tempo que estão juntos parece um desejo doce e levemente caliente. A leve mordida nos lábios, o sorriso sacana que dava logo após olhar profundamente os olhos que a cativavam de tão belos e profundos e ao mesmo tempo, tão brilhantes e intensos.

Aqueles mesmos olhos que podem fazer do mundo um céu... ou um inferno. Tudo isso era apenas por três semana que ela estava ao seu lado. Essas três semanas que a fizeram tão bem... bem que mesmo o sentimento de saber que teria de partir não fazia com que se preocupasse com isso. A troca de olhares e carinhos, seguida de beijos onde a vontade de ambos permitissem a fazia esqueçer do tempo.

- Bem, acho que quando for me despedir de vc... não sei com que cara eu irei ficar.
- Mas gatinho... vc só tem uma neh?
- ouch... senti que fui ownado...
- Hehehe... 1 a 1... é gostoso te aperriar... ver sua carinha de besta...
- é... um aperreia o outro.
- Mas sabe amorzinho, uma coisa que aprendi contigo e lendo seus livrinhos esotéricos: O pior não é cometer um erro gatuno lindo, o pior é tentar justifica-lo. Se você errou, apage isso do seu coração, senão isso o corroerá por dentro, e forças negativas só levam a auto-destruição.
- Você leu meus livros minha anjinha?
- Sim, eu não resisti as figuras da capa, e começei a ler tudo de uma vez ^.^
- Ai ai.. acho que tenho que guardar melhor minhas coisas
- Nem que vc guardasse gatinho, eu iria lá e xeretaria tudo do mesmo jeito... sou curiosa XD
- É... realmente isso vc é em excesso

Um longo abraço se sucedeu após isso, aquela sensação de calma circulava por entre eles. Aquele tempo parecia parar, mas ao mesmo tempo... passava de forma tão rápida...

- Mesmo em tão pouco tempo... passei a te adorar gatinho, um sentimento puro e de artista que tens... mesmo fazendo besteira mas um lindo sentimento.
- Eu sou regido por isso minha anja... regido pelos sentimento. Aquele que me dá um bom sentimento, eu o retribuo de volta... dando conforto e carinho a quem me faz isso. e vc o fez muito bem, por isso...te adoro e te gosto... minha anja de olhos brilhantes.
- ow kyo...

Seus olhos se encontraram novamente, apenas para mais uma vez conduzirem seus lábios a encontro um dos outros. Um beijo como se não quisessem mais soltar um do outro, com a mão de cada um explorando as curvas e desenhos do desejo alheio.

Cada segundo que passava... era cada sensação de que tudo estava valendo a pena...
Cada segundo que passava... era o beijo despertando o libido de um gato e de uma anja...
Cada segundo que se passava... era uma roupa a menos do corpo dos dois apaixonados...

23 de set de 2008

Especial - Reportagem sobre o dia 22 de Setembro (Dia do Amante)

Um simples desafio pode virar uma boa matéria ou reportagem? Posso dizer que, de certo modo, isso fora o que me motivou a escrever esse especial que venho aqui hoje publicar (na verdade, era pra ter publicado ontem, mas como o sono e a falta de vontade de entrar no PC me venceram deixei essa apuração para ser publicada aqui hoje.) Se realmente ficou bom ou não, só vocês leitores é quem poderá dizer.

Aproveitando um dos meus dias de sessão com o meu psicólogo. Entrevistei duas pacientes e uma amiga minha para colher dados sobre o dia do amante (comemorado ontem ) e o que levaria uma mulher a trair (Os nomes das pessoas entrevistadas foram todos guardados a pedidos delas próprias e respeitarei essa decisão). E pelo relato de cada uma delas, passei a perceber que existem três tipos de traidoras: as que traem por vingança (O marido não a trata como mereçe e e ela vai a fora procurar outro, monstrando uma auto-estima e podem se sentir poderosas e desejadas); aquelas que traem por ausência do companheiro em vários aspectos (carinho, companherismo, afeto, ritmo de vida, gostos e outros fatores) e as que traem por simples desejo de quererem novos prazeres e curtir a vida a todo e qualquer custo (que mesmo sabendo que não posso opinar mas, pessoalmente, diria que é sem-vergonhiçe mesmo e luxúria em excesso.)

A quem interessar a matéria... boa leitura!
Só me perdoem pela foto, eu não consegui fazer uma imagem para essa reportagem, então recorri ao google para utilizar uma foto bem clásica sobre o assunto.
-------------------------------------------------------------------------------------

ELAS TAMBÉM SABEM PULAR A CERCA...

Antes os homens eram os mais propensos a trair. Nos dias de hoje, as coisas estão cada mais equilibradas, até mesmo nas traições...

Dia 22 de Setembro é o Dia do Amante. Pelo visto é de esperar a lotação dos motéis. Ainda que nós vivamos em uma sociedade que afirma ser monogâmica, o conceito de as traições andam cada vez mais comuns não é uma grande novidade. Porém, podemos dizer que algo de novo tem nesta história: Se, no passado, os homens eram tidos como mais propensos a trair, atualmente essa máxima está fora de moda. As mulheres traem, sim, senhor. Elas estão pulando a cerca e espalham chifres.

O eterno "Foca de fim de semana" Lucas Mateus perguntou para algumas delas por que e o que elas procuram em um amante aquilo "que não tem em casa". Mesmo sendo precioso em uma relação longa o acréscimo de muitos ingredientes saborosos como intimidade, cumplicidade e companheirismo. Um ingrediente que, depois de alguns anos, é difícil acontecer - o arrepio dos primeiros beijos e o calor das primeiras carícias - é uma das causas de essas mulheres afirmas que faz falta. Por causa desse desejo de sentir esse friozinho que gente como a atriz T. M.de O. acaba pulando a cerca e colocando galhos no seu atual namorado . "Meu namoro é excelente e não pretendo terminar de jeito nenhum. Mas, às vezes, olho para o lado. Por mais que eu tente evitar, chega uma hora que me permito ter as sensações de uma primeira vez com um homem: o toque é diferente, só de beijar já dá vontade de tirar a roupa toda", conta a atriz de 31 anos adepta do "Carpe Diem".

Ela afirma que nunca manteve um amante por muito tempo, "o máximo que tive foi com um morenaço que conheçi em cidade satélite, que eu acho que foram uns 4 meses, esse foi o meu récorde", afirma T.M. de O. entre risos, mas assume que possuiu alguns pequenos casos extraconjugais nos quais o que mais a atraiu foram as labaredas dos primeiros beijos. "A vida é uma só e a gente tem que aproveitar. Tenho o meu amor, meu querido, meu parceiro de vida, mas não abro mão de experimentar uma novidade de vez em quando", conclui a atriz.

No entanto, não é apenas de fogo e vontade que levam uma mulher a trair. Esta mesma vontade pode ser vista como uma pista de que algo está faltando na relação. E se existem lacunas sem preenchimento dentro de casa com o seu parceiro, a mulherada de hoje vai a rua e o preenche por fora. Esse exemplo é o relatado pela designer e estagiária da UFRN, M.A. de S. de 23 anos. A designer afirmava que adora dançar, mas seu marido detesta. "Eu não consigo viver sem dança, sem isso eu não vivo. É uma necessidade mesmo. E foi justamente dançando que conheci uma pessoa que veio a se tornar muito especial pra mim".

A design revela que tem um amante há seis meses que não sabe dançar, mas só pelo fato de ficarem juntos ela diz que sentiu essa química entre eles. "Isso nos uniu muito.Nós dois adoramos dançar juntos e porque quem dança está se abraçando, se acariciando no mesmo ritmo... É muito sensual", diz ela, após comentar que por muito tempo tentou levar o seu marido para acompanha-las nos clubes de salão. "Ele não quis aprender comigo e deu no que deu!", finaliza.

A Traição Clássica Ainda Existe?

Seguinte cena no ar: "O marido, grosseiro e desleixado. Sai com os amigos toda sexta à noite e deixa a mulher em casa. Ele vacila. A esposa chora, sente-se sem valor, arranha o tapete, xinga e... arranja um amante só para dar o troco." Esse tipo de coisa pode até parecer clássica e antiquada, mas acontecia (e ainda acontece) mais do que se imagina. Um desses casos aconteceu com a Professora e Dona de Casa V. B de A., de 25 anos.

Ela comentava com este foca que está casada há menos de um ano e muito irritada de reclamar sobre isso com o seu marido. "Já estava aborrecida com isso. Até que um dia conheci um cara e saí com ele. Não foi nada demais, mas eu estava precisando disso para me sentir poderosa, bonita, desejada", revela a professora que manteve a situação (de sair com por algum tempo. "O meu marido estava pedindo e merecendo por isso, só fazia besteira comigo. Eu nunca contei que tinha arrumado outro, mas ele percebeu que eu estava diferente e tratou de andar na linha", diz V. que afirma não se arrepender de nada do que fez. "Meu marido anda numa fase boa, então estou quietinha. Mas se ele começar a aprontar de novo, não vou ficar sozinha chorando em casa. Vou me divertir e curtir a vida!", ameaça.

Na fala de um Profissional...

O psicólogo Carlos Searom afirma que existe o mundo real e o mundo imaginário, das idealizações. "Quanto mais uma pessoa consegue viver no real, no concreto, sem fantasias e ressentimentos do passado, mais ela vai ter contato com o homem real que está ao seu lado. O ser humano é um ser desejante, e o desejo é um fluxo: sempre há o desejo da vez. Mesmo que a mulher tenha um companheiro responsável, carinhoso e apaixonado, ele nunca será perfeito. A mulher gostaria que ele tivesse um olho azul que ele não tem, ou que fosse cinco centímetros mais alto. Em um primeiro momento, ela reclama do marido. Depois, quando encontrar um homem com as qualidade das quais sente falta, o elege seu amante", explica o psicólogo, lembrando que o amante pode até ter olho azul, mas não tem algumas qualidades do marido e ainda tem seus próprios defeitos.

Já na traição pelo quesito vingança. O psicólogo Carlos fala que esse tipo é muito comum. "Nesse caso, não importa como foi o encontro com o amante, mas sim ter acontecido esse encontro. A mulher então se afirma como uma pessoa livre e seu gozo não é o orgasmo e sim o prazer da vingança", finaliza e aconselha a todos os homens que desejam ter uma mulher como companheira. "Sempre a tratem muito bem e conversem com suas mulheres, elas muitas vezes preferem saber que vocês se preocupam com elas. Se fizer isso, já fez muito bem o seu serviço. Se mesmo assim ela o trair, faça o mesmo com ela."

12 de set de 2008

Cronica: A cidade dos Sonhos (parte 4) - Uma foto quebrada no quarto...

Um dia após o outro, realmente as pessoas aprendem a vivê-los. No post passado eu falei que "mudou muita coisa nesse meio tempo, e que isso em parte até irá refletir nessas palavras. Uma mudança tanto externa quanto interna. Se dará certo, não sei..."Antes, nem saberia dizer se daria certo. Hoje, parece que eu finalmente vi que nada que eu tentei realmente surtiu efeito. A sensação do eterno "fogo de palha" as vezes me faz pensar se tudo isso que passou fora em vão. Será que viver um grande amor está tão impossível nesse mundo onde as pessoas simplesmente "ficam"? O valor de um amor está sendo substituido pelo desejo de uma simples pegação?

Perguntas a mais, perguntas a menos, mas perguntas que ainda me circulam. Porésm acho que, dessa vez, mereço um tempo a sós comigo mesmo. Para destruir completamente essa sensação de nostalgia de minha mente. Simplesmente um tempo para refletir e ficar de cabeça fria... E com uma idéia para completar a crônica da cidade dos sonhos que decidi ser finalizada em 6 partes (com essa agora, será a 4 da série).

Boa leitura....


---------------------------------------------------------------------------------



Cronica: A cidade dos Sonhos (parte 4):
Uma foto quebrada no quarto...

Os olhos negros e marcados pelas noites mal dormidas do nosso artista demonstrava o quanto ele marcara essas mesmas noites a sua determinação em produzir uma roupa. Uma roupa bastante especial para uma ocasião especial que ele queria com alguém. Algo que fazera seus olhos vermelhos e artificiais admirassem fazendo com quem as gotas d'águas tirassem as suas lentes do lugar.

Bordado por todo o vestido, colar e luvas longas e bem delicadas, anel em prata feito por encomenda, véu em formato de coroa. Cada coisa dessa pensada e refletida baseado em modelos e fotos que ele mesmo tera procurado. Tudo isso sendo quebrado pelo abraço carinhoso do seu filhote recém despertado e ainda com sono, que logo fica admirado ao ver a imagem ao lado. "Nossa painho, ficou lindo", exclamada de surpresa o seu filho, sendo respondido pelo artista com um simples: "Obrigado filho, o esforço destas noites deram um belo resultado."

A admiração do seu filho poderia ser vista quando ele perguntara ao pai se um dia também saberia criar uma obra de arte como essa. "Será que eu poderia passar algumas noites assim também pai? Quero aprender a fazer algo bonito assim...". Kyo, olhando simplesmente com aquele seu sorriso misto de dor e prazer, uma simples lição que transcorrida abaixo.

- Sei que nunca te falei sobre essa lição filhote, mas posso te falar uma coisa sobre inspiração: Se você se esforçar em ir atrás daquilo que gosta filhote, só o céu será o limite...
- Nossa, posso mesmo painho?
- Sim... basta você se sentir a vontade e gostar daquilo que faz.... nada o deterá.
- Como os seus desenhos e artes como essa neh?

Essa pergunta veio como um choque. A inocência da criança feliz fazendo uma simples pergunta parecia quebraria a resistência do atual estado de melancolia que o jovem kyo se encontrara. Mesmo ele sabendo que essa não fora a intenção de seu filhote, o jovem artista ficando olhando por um tempo aquela imagem que seu filhote a trarara como "arte".

- Painho, o que vamos fazer com isso?
- Nada filhote, nada não... pode jogar fora, não será mais útil.
- Mas... você o estava desenvolvendo tanto, isso te custou uma noite? Vende para aquelas senhoras que as vezes vem aqui para pedir seus serviços de desenhista.
- Para ser exato filhote, foram 4 noites. Mas, pode apagar. Essa peça não estará a venda.
- Isso não é justo pai... você trabalhou tanto nisso, e o que você me falou ainda agora?

Aquela pergunta do seu filho parecia ecoar como um sino na cabeça do Kyo, ele sabera que seu filhote tinha razão. Ele só fez pegar aquele desenho e guardar no lugar mais precioso que ele sabe que tem. Esse lugar mais precioso? Sua cabeça e suas lembranças.

- Tem razão filhote, vamos deixar isso aqui como um retrato. Pode trazer aquele porta-retrato do seu quarto? Isso vai dar uma boa foto na nossa sala ^^
- Sim painho ^^

Logo após falar isso, a jovem criança Aleph pega um grande porta-retrato no seu quarto e colocam a figura dentro dele, colocando na parede da sala quase que como um quadro estampado. Antes de dormirem, Kyo ainda passara pela sua sala e veria em seu hack uma fotografia estampada perto da TV. Nela, havia a cena que tanto queria manter em suas lembranças: A foto da pessoa amada e do jovem artista juntos, colocadas em porta retrato perto de sua cama.

Ainda a olha por um tempo, meio que como se despedindo da mesma... esse olhar dura por quase 10 minutos, admirando até tomar a deicisão de pega-la e colocar em uma velha caixa de sapatos junto com as suas antigas lembranças desse mesmo sentimento. Decidira que a partir daquele momento não seria mais melancólico, seria um novo Kyo não somente para afastar essa dor de si mesmo, mas também para dar ao seu filho uma coisa que está cada vez mais difícil ao filhos: amor e compaixão. Coisas que ele sabia que da pessoa que ele ama não mais a terá.

"O mundo não é um conto de fadas, pessoas vivem e morrem nele... amam e são traídas... perdoam e são massacradas... que tem o poder de opinar e, ao mesmo tempo, são influenciadas por revistas de comportamentos juvenis e fofocas de celebridades... que mundo vamos parar? Ou melhor: que mundo estamos construindo para nossas gerações? Depois vamos pagar por isso."

Ainda olha a foto no porta-retrato e guarda na caixa de sapatos, preparando-se para mais um dia de semana. Um longo e imenso dia de semana

-------------------------------------------------------------------------------------

Mesmo não querendo transformar esse blog em canal de youtube, vou publicar aqui um clipe que pode combinar com a escrita desse post: